Pesquisas em andamento

  • Custos logísticos no Brasil - Uma Metodologia Inovadora

    Qual o real custo logístico das empresas brasileiras?

    A FGV EAESP, por meio do GVcelog-Centro de Excelência em Logística e Supply Chain, realizará uma pesquisa sobre Custos Logísticos, sob uma visão diferenciada, no que diz respeito a metodologia para se obter dados mais realistas a respeito do tema.

    O objetivo geral da pesquisa é o desenvolvimento e a aplicação de uma metodologia, completamente inovadora em relação às existentes, para quantificação e detalhamento dos custos logísticos das empresas brasileiras. Além de uma primeira aplicação da metodologia, o projeto contempla também a criação de procedimentos e rotinas para replicações anuais dos levantamentos.

    Permitirá, também, a constituição de uma importante base de dados com imensa capacidade de processamentos complementares, para atender às mais diversas necessidades do país na área de custos associados à logística.

    Com base nesse conhecimento será possível influenciar na formulação de políticas públicas e estratégias empresariais. A FGV irá divulgar os resultados junto aos órgãos públicos responsáveis e à entidades de classe e realizar eventos para estimular debate sobre como promover a redução do custo logístico brasileiro. No âmbito privado, será feito um trabalho junto à mídia comercial e especializada para divulgar os resultados e orientar empresas sobre estratégias logísticas que podem reduzir seu custo operacional. Espera-se com isso criar um ciclo positivo de monitoramento, ações e melhoria que venha no longo prazo contribuir para a redução desse importante gargalo da economia brasileira.

    Pesquisador:
    Professores da FGV EAESP: Manoel A.S. Reis, Juiliana Bonomi e alexandre Pignanelli
    FGV EAESP
    2017/2018
  • Profissionais de Logística e Supply Chain no Brasil - Avaliação de Habilidades e Competências Necessárias e Desenvolvimento de um Plano de Ação no Brasil

    O objetivo dessa pesquisa é dar continuidade às pesquisas Profissionais de Logística Supply Chain no Brasil – Entendendo o Mercado, desenvolvidas durante os anos de 2012 e 2014, nas quais foram obtidos resultados interessantes sobre o conjunto de competências (skills) necessárias aos profissionais no mercado de operações logísticas e gestão da cadeia de abastecimento e as faltas (gaps) existentes, quer seja nas competências quer seja na disponibilidade de profissionais. O presente estudo pretende ainda aumentar o escopo das pesquisas anteriores avaliando o grau de maturidade dos departamentos de Logística e SCM nas empresas e identificando necessidades educacionais e ações de governo e empresariais para aumentar a participação do Brasil no cenário internacional. Por fim, através deste estudo, o GVcelog deseja estar apto a participar como parceiro em pesquisa do Banco Mundial sobre o tema a partir de 2017.

    Essa pesquisa se justifica pela falta de informações confiáveis sobre profissionais de logística e supply chain no mercado brasileiro, os quais estão sendo crescentemente demandados, em virtude da importância que as áreas de logística e supply chain vêm assumindo para a competitividade das empresas. No ranking internacional de indicadores de desempenho logístico, o Brasil teve redução de sua nota no quesito de competências e qualidade de prestadores de serviço logísticos de 2010 para a última publicação em 2015 (WORLD BANK, 2015).

    Pesquisas anteriores já realizadas pelo GVcelog indicaram informações sobre lacunas importantes do profissional, mas os resultados esperados para esta 3ª Fase permitirão um entendimento mais abrangente sobre a real situação deste mercado e criarão oportunidades para empresas e órgãos de governo realizarem seu planejamento de forma mais precisa e, para as entidades de ensino, permitirão adequar seus programas de ensino nas áreas de logística e supply chain, nos níveis de graduação e de pós-graduação.

    Previsão de conclusão: dezembro de 2016

    Pesquisador:
    Professoes Priscila Miguel, Manoel A.S. Reis e Cláudio Minerbo
    FGV-EAESP
    2016
  • Análise da Resiliência das Cadeias de Suprimentos em Momentos de Turbulência Econômica e Política no Brasil

    Os estudos sobre resiliência em cadeias, isto é, a capacidade de se recuperar após uma ruptura ou evento negativo, tem, em particular, focado em examinar estas respostas a situações de alto impacto, tais como, interrupções súbitas nas cadeia ou desastres catastróficos causados ​​por fatores ambientais ou causados pelo homem. No entanto, decisões políticas e económicas tem alta importância nas atividades de organizações e em suas cadeias de suprimentos (Sheffi, 2001, Christopher e Peck, 2004, da Economist Intelligence Unit, 2010, JÜTTNER 2011, Punniyamoorthy et al. 2013), porèm há pouca discussão na literatura sobre como organizações atuam para mitigar os efeitos destes riscos e minimizar seus impactos, de forma que a empresa volte mais rapidamente ao estado antes da crise. Uma exceção inclui o trabalho de Wagner e Bode (2008) que sugerem que não existe uma relação significativa entre riscos regulatórios, legais e burocráticos e desempenho da cadeia de suprimentos. No entanto, seu trabalho foi realizado na Alemanha, um país economicamente dependente e cuja configuração institucional global é caracterizada pela estabilidade e robustez (OECD, 2010).

     

    A atual crise política do Brasil lançou a sua economia em recessão. Empresas como General Motors Latam Airlines e Embraer AS estão reduzindo suas operações e postergando investimentos, além da demissão de trabalhadores (Sciaudone, 2015). De acordo com o Relatório de Competitividade Global 2015-2016 (WEF, 2015), o Brasil ocupa atualmente a 75ª. posição no relatório de competitividade em uma tendência de quedanos últimos anos (Ele caiu de 38 em 2010 para 54 em 2014). As principais causas para a diminuição da competitividade brasileira foram a sua atual crise política e econômica e questões estruturais, como o sistema regulatório e fiscal, a falta de infra-estrutura e as taxas de educação e de baixa produtividade. Além disso, escândalos de corrupção minaram a confiança nas instituições, tanto públicas como privadas (WEF, 2015).

     

    Além disso, como a economia de um país entra em recessão, interrupções na cadeia de fornecimento são relatadas dada a reduzida procura dos clientes, a volatilidade dos preços, os fornecedores com problemas financeiros, etc. (Economist Intelligence Unit, 2010). Além desses exemplos, a turbulência econômica pode ter um enorme impacto no desempenho das empresas em países com moeda variabilidade alta, especialmente para empresas internacionais (David, 2013; Dornier et al., 1998)

     

    Dada a importância de compreender o impacto das pressões políticas e econômicas na cadeia de abastecimento resiliência esta pesquisa tem como objetivo iniciar uma investigação sobre como as empresas brasileiras estão lidando com o cenário político e econômico atual e como sua reação pode afetar o desempenho das operações de toda a cadeia de abastecimento.

    Previsão de conclusão: Dezembro de 2016

    Pesquisador:
    Professora Priscila L. S. Miguel
    FGV-EAESP
    2016
  • Mapeamento da Maturidade de Compras de Organizações Brasileiras

    A área de Compras no Brasil tem enfrentado dificuldades para se firmar como área estratégica dentro das empresas. Com o intuito de contribuir para o desenvolvimento e melhoria da competitividade das organizações, este estudo visa a criação de um índice de maturidade de Compras em empresas brasileiras, que será divulgado a cada 2 anos. A este índice, serão vinculadas propostas de desenvolvimento da área, pontos críticos e ao longo do tempo, sua evolução.

    Previsão de conclusão: 2017

     

    Pesquisador:
    Professores: Cristiane Biazzin, Priscila Miguel, Fabio Tescari, Luis Alexandre
    FGV-EAESP
    São Paulo - 2015
  • Como as Empresas tem Utilizado as Redes Virtuais para o Desenvolvimento de Competências Operacionais?

    Com o advento da internet, a comunicação e troca de informações assumiu novos padrões de velocidade e qualidade. É também fato que as redes sociais tem sido amplamente utilizadas não apenas para fins de entretenimento e marketing, mas também para acelerar a troca de informação nas atividades e práticas operacionais (mesmo que de forma não-institucionalizada pela empresa) mas como uma alternativa que os colaboradores encontraram para alavancar seus processos. Dessa forma, almeja-se com o presente estudo avaliar a existência desse fenômeno, sua intensidade, como tem sido estruturado pelos colaboradores e como tem impactado o desempenho operacional da firma.

    Previsão de conclusão: junho/2016

    Pesquisador:
    Profa. Cristiane Biazzin e Isabella Ulson - aluna graduação - PIBIC
    FGV-EAESP
    São Paulo - 2015
  • Pesquisador:
    Jalba Miniussi - Orientador: Professor Luiz Artur L. Brito
    FGV-EAESP
    São Paulo - 2015