Pesquisas realizadas

  • COMPETITIVIDADE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS

    Unindo rigor metodológico e aplicação prática, o Centro de Excelência em Logística e Supply Chain (GVcelog), da FGV-EAESP, desenvolveu uma pesquisa em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI).  As duas instituições finalizaram a primeira rodada de um estudo que identificou os desafios que as empresas brasileiras enfrentam para exportar.

    A pesquisa mensura o nível de criticidade dos obstáculos que afetam a competitividade das exportações brasileiras, a partir de extenso levantamento com uma amostra de 847 empresas exportadoras. Lançados em agosto de 2016, os resultados direcionam estratégias de mobilização e influência nas esferas pública e privada.

    Os resultados dessa pesquisa foram disponibilizados em um website, que utiliza novas tecnologias de visualizações dinâmicas e responsivas. Os resultados apresentados oferecem plena interação com o usuário, possibilitando a consulta a estratos, detalhes e recortes específicos cuja apresentação seria inviável nas forma tradicional de publicação impressa.

    Acesse e veja a pesquisa na íntegra: http://desafiosexport.org.br/

    Pesquisador:
    Pesquisadores Responáveis: Professores Doutores Juliana Bonomi Santos e Alexandre Pignanelli
    FGV-EAESP
    São Paulo - 2016
  • O objetivo dessa pesquisa é dar continuidade às pesquisas Profissionais de Logística Supply Chain no Brasil – Entendendo o Mercado, desenvolvidas durante os anos de 2012 e 2014, nas quais foram obtidos resultados interessantes sobre o conjunto de competências (skills) necessárias aos profissionais no mercado de operações logísticas e gestão da cadeia de abastecimento e as faltas (gaps) existentes, quer seja nas competências quer seja na disponibilidade de profissionais. O presente estudo pretende ainda aumentar o escopo das pesquisas anteriores avaliando o grau de maturidade dos departamentos de Logística e SCM nas empresas e identificando necessidades educacionais e ações de governo e empresariais para aumentar a participação do Brasil no cenário internacional. Por fim, através deste estudo, o GVcelog deseja estar apto a participar como parceiro em pesquisa do Banco Mundial sobre o tema a partir de 2017.

    Essa pesquisa se justifica pela falta de informações confiáveis sobre profissionais de logística e supply chain no mercado brasileiro, os quais estão sendo crescentemente demandados, em virtude da importância que as áreas de logística e supply chain vêm assumindo para a competitividade das empresas. No ranking internacional de indicadores de desempenho logístico, o Brasil teve redução de sua nota no quesito de competências e qualidade de prestadores de serviço logísticos de 2010 para a última publicação em 2015 (WORLD BANK, 2015).

    Pesquisas anteriores já realizadas pelo GVcelog indicaram informações sobre lacunas importantes do profissional, mas os resultados esperados para esta 3ª Fase permitirão um entendimento mais abrangente sobre a real situação deste mercado e criarão oportunidades para empresas e órgãos de governo realizarem seu planejamento de forma mais precisa e, para as entidades de ensino, permitirão adequar seus programas de ensino nas áreas de logística e supply chain, nos níveis de graduação e de pós-graduação.

    Previsão de conclusão: dezembro de 2016

    Pesquisador:
    Professoes Priscila Miguel, Manoel A.S. Reis e Cláudio Minerbo
    FGV-EAESP
    2016
  • Os estudos sobre resiliência em cadeias, isto é, a capacidade de se recuperar após uma ruptura ou evento negativo, tem, em particular, focado em examinar estas respostas a situações de alto impacto, tais como, interrupções súbitas nas cadeia ou desastres catastróficos causados ​​por fatores ambientais ou causados pelo homem. No entanto, decisões políticas e económicas tem alta importância nas atividades de organizações e em suas cadeias de suprimentos (Sheffi, 2001, Christopher e Peck, 2004, da Economist Intelligence Unit, 2010, JÜTTNER 2011, Punniyamoorthy et al. 2013), porèm há pouca discussão na literatura sobre como organizações atuam para mitigar os efeitos destes riscos e minimizar seus impactos, de forma que a empresa volte mais rapidamente ao estado antes da crise. Uma exceção inclui o trabalho de Wagner e Bode (2008) que sugerem que não existe uma relação significativa entre riscos regulatórios, legais e burocráticos e desempenho da cadeia de suprimentos. No entanto, seu trabalho foi realizado na Alemanha, um país economicamente dependente e cuja configuração institucional global é caracterizada pela estabilidade e robustez (OECD, 2010).

     

    A atual crise política do Brasil lançou a sua economia em recessão. Empresas como General Motors Latam Airlines e Embraer AS estão reduzindo suas operações e postergando investimentos, além da demissão de trabalhadores (Sciaudone, 2015). De acordo com o Relatório de Competitividade Global 2015-2016 (WEF, 2015), o Brasil ocupa atualmente a 75ª. posição no relatório de competitividade em uma tendência de quedanos últimos anos (Ele caiu de 38 em 2010 para 54 em 2014). As principais causas para a diminuição da competitividade brasileira foram a sua atual crise política e econômica e questões estruturais, como o sistema regulatório e fiscal, a falta de infra-estrutura e as taxas de educação e de baixa produtividade. Além disso, escândalos de corrupção minaram a confiança nas instituições, tanto públicas como privadas (WEF, 2015).

     

    Além disso, como a economia de um país entra em recessão, interrupções na cadeia de fornecimento são relatadas dada a reduzida procura dos clientes, a volatilidade dos preços, os fornecedores com problemas financeiros, etc. (Economist Intelligence Unit, 2010). Além desses exemplos, a turbulência econômica pode ter um enorme impacto no desempenho das empresas em países com moeda variabilidade alta, especialmente para empresas internacionais (David, 2013; Dornier et al., 1998)

     

    Dada a importância de compreender o impacto das pressões políticas e econômicas na cadeia de abastecimento resiliência esta pesquisa tem como objetivo iniciar uma investigação sobre como as empresas brasileiras estão lidando com o cenário político e econômico atual e como sua reação pode afetar o desempenho das operações de toda a cadeia de abastecimento.

    Previsão de conclusão: Dezembro de 2016

    Pesquisador:
    Professora Priscila L. S. Miguel
    FGV-EAESP
    2016
  • Pesquisador:
    Professoras: Priscila L.S. Miguel e Susana C. Farias - Doutorandos: Marcelo Sá e Alexandre Prim e Pesquisadora: Renata Pelegrino Brito
    FGV-EAESP
    São Paulo - 2015
  • Essa pesquisa contou com o apoio da empresa ICTS (empresa de consultoria e gestão de risco de negócio), na coleta de dados.

    Pesquisador:
    Professoras Priscila L.S. Miguel e Susana C.Farias Pereira
    FGV-EAESP
    São Paulo - 2015
  • Pesquisador:
    Profa. Priscila L.S. Miguel
    FGV-EAESP
    São Paulo - 2014
  • Essa pesquisa corresponde à segunda fase de um processo iniciado em 2012, cujo objetivo é obter informações sobre o conjunto de competências (skills) necessárias aos profissionais no mercado de operações logísticas e gestão da cadeia de abastecimento, bem como identificar as faltas de competências existentes, na opinião das empresas. A pesquisa foi realizada através de um questionário dirigido às empresas, as quais informaram as competências gerenciais e operacionais necessárias, os níveis reais de competência dos profissionais atualmente contratados, e as competências faltantes.

    Pesquisador:
    Prof. Manoel de Andrade e Silva Reis, Ph.D Prof. Juliana Bonomi Santos, Ph.D Cristiane Brandão – Doutoranda na FGV-EAESP Renata Barboza – Doutorando na FGV-EAESP Deborah Wainsztok –Aluna de Graduação na FGV-EAESP
    FGV-EAESP
    São Paulo - 2014
  • Pesquisador:
    Profa. Priscila L.S. Miguel
    FGV-EAESP
    São Paulo - 2014
  • Pesquisador:
    Coordenador Geral: Prof. Manoel de Andrade e Silva Reis, Ph.D. Coordenador: Claude Machline, Ph.D.
    FGV-EAESP
    São Paulo - 2012
  • Pesquisador:
    Coordenador Geral: Prof. Manoel de Andrade e Silva Reis, Ph.D. Pesquisadores: Profa. Juliana Bonomi, Ph.D e Diego Amaral Martins, aluno graduação
    FGV-EAESP
    São Paulo - 2012
  • Este projeto contribuiu para o estudo de relacionamentos entre fornecedores e clientes, enfocando a identificação e a medição do valor criado a partir de relacionamentos colaborativos, e como ocorre sua apropriação pelas partes envolvidas, que impacta o desempenho financeiro das mesmas. Teve o apoio da FAPESP – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo para o desenvolvimento do projeto.

    Pesquisador:
    Coordenador Geral: Professor Luiz Artur L. Brito Apoio : Ms. Aline Rodrigues Fernandes Ms. Fábio Viard de Campos da Silva Tescari Ms. Janaína Siegler Marques Batista Dra. Priscila Laczynski de Souza Miguel
    FGV-EAESP
    2010
  • Estudo sobre a Competitividade Global das Empresas Brasileiras na Dimensão Tempo - 1a. e 2a. Fases

    Coordenação Geral: Professores Manoel de Andrade e Silva Reis, Ph.D. e Claude Machline
    Coordenador Fase 1 (concluída): Profª Juliana Bonomi Santos - Relatório Completo
    Pesquisadores: Luís Caetano Sampaio Andrade e Marina Barreto de Faria e Souza
    Coordenadores Fase 2 (concluída): Prof. Alexandre Pignanelli - Relatório Completo
    Pesquisadoras: Profª Juliana Bonomi Santos e Marina Barreto de Faria e Souza

    Pesquisador:
    Ver acima
    FGV-EAESP
    São Paulo - 2008
  • Pesquisador:
    Coordenador Geral: Prof. Manoel de Andrade e Silva Reis, Ph.D.
    FGV-EAESP
    São Paulo - 2008